SUBSTÂNCIAS CANCERÍGENAS DO CIGARRO


Você sabia que o cigarro contém mais de 4.700 substâncias tóxicas? Conheça algumas destas substâncias que podem levar você à morte...


ALCATRÃO:
É um termo usado para definir um conjunto de partículas sólidas orgânicas e inorgânicas, que são absorvidas pelo fumante quando o cigarro é aceso. Entre seus compostos encontram-se 43 substâncias cancerígenas, como por exemplo:  Arsênico, Polônio 210, Carbono 14, DDT, Níquel, Chumbo, Benzopireno, Cádmio, Dibenzoacridina.
Grande parte das substâncias tóxicas do cigarro está sob a forma gasosa, não sendo incluída como componente do alcatrão, dando a falsa impressão de que não agride o organismo.
Cigarros com menor teor de alcatrão não são mais seguros para a saúde, pois contêm vários produtos tóxicos e cancerígenos.
O alcatrão no corpo do fumante ocasiona manchas nos dentes, dedos, deposita-se nos pulmões gerando uma coloração castanha escura.

POLÔNIO:
É um raro elemento radioativo, sendo o Polônio 210 a sua forma mais comum.
O polônio produz um tipo de radiação extremamente prejudicial chamada de alfa-radiação, que geralmente são bloqueadas pelas camadas da pele. Na fumaça do cigarro foram identificados vestígios de polônio, esses são depositados nas vias aéreas emitindo radiação para as células a sua volta. Estima-se que um fumante de 30 cigarros/dia está exposto à radiação equivalente a 300 RX de tórax em 1 ano.
3- Níquel
Usado na produção de aço inoxidável, ligas, moedas, galvanoplastia e pilhas alcalinas.
Armazena-se no fígado, rins, coração, pulmões, ossos e dentes. Sua inalação desencadeia alterações no estômago e intestinos, aumenta as chances de infecções respiratórias e câncer.

BENZENO:
É produzido durante a queima do cigarro. Utilizado como pesticida, na composição do detergente e da gasolina.
Também considerado cancerígeno. Ao ser inalado é absorvido pelos pulmões onde provoca danos irreversíveis a longo prazo, como o enfisema e a asma em crianças filhas de pais fumantes. Transportado por todo o corpo em especial para o fígado. A exposição ao benzeno pode provocar leucemia entre 2 a 50 anos. 

N-NITROSAMINAS:
Responsáveis pelas alterações do DNA, portanto consideradas cancerígenas ambientais, ou seja, o não fumante exposto a fumaça do cigarro em ambientes fechados, ao inalar essas substâncias tem mais chances de desenvolver câncer.  
Quando o fumo é associado com o álcool seu efeito carcinogênico amplia-se.

FORMALDEÍDO:
Utilizado na conservação de cadáveres e na fabricação de produtos químicos para matar bactérias, fertilizantes, corantes e desinfetantes.
A fumaça do cigarro em ambientes fechados possui concentrações de formaldeído que podem chegar a níveis 3 vezes maiores, quando comparadas com o ar livre.
Provoca doença respiratória, reações alérgicas como asma, coceira nos olhos, além de tonturas, diminuição da coordenação motora, dores de garganta e alteração do sono. Suspeito de ser cancerígeno para os seres humanos.

ACROLEINA:
Gás com um forte cheiro nauseante, sendo o de maior concentração no cigarro.
O cigarro contém 1.000 vezes mais acroleína quando comparado com outros produtos químicos que fazem alteração do DNA, sendo possivelmente o maior responsável pelo câncer de pulmão, bem como o formaldeído e acetaldeído que estão classificados no mesmo grupo.
Essas alterações são bem parecidas com as causadas pelo arsênico e cádmio.
Responsável pela destruição dos cílios pulmonares, fundamentais para a defesa das toxinas inaladas.

ACETALDEÍDO:
É utilizado no combustível, cola, tintas, plásticos, borrachas sintéticas, couro, espelhos.
A indústria do tabaco desenvolveu estudos sobre a ação do acetaldeído conjuntamente com a nicotina em ratos de laboratório. Observou que ação das duas substâncias favorece o potencial de dependência da nicotina.
Em humanos, pequena quantidade de acetaldeído leva à irritação da pele, dos olhos e do sistema respiratório. 

NAFTALINA:
Usado como veneno para matar barata. O contato com essa substância provoca tosse, irritação na garganta, náuseas, distúrbios gastrointestinais, renais e oculares, além de anemia. 

Fonte:  http://cienciainteressante.blogspot.com.br/

←  Anterior Proxima  → Página inicial