Pontos corridos forma nova elite e concentra títulos no eixo Rio-SP


A primeira rodada do Campeonato Brasileiro, com jogos no sábado e domingo, marca o início da décima edição do torneio com a fórmula de pontos corridos. O modelo de disputa, inspirado nas competições europeias, formou uma nova elite no futebol brasileiro e teve os títulos concentrados no eixo Rio-São Paulo.

Vencedor de três títulos na era dos pontos corridos, o São Paulo é o clube com mais pontos nas nove edições do Brasileiro com a nova fórmula. O clube do Morumbi é seguido pelo Internacional. Os gaúchos não venceram nenhuma edição com pontos corridos, mas com três vices, em 2005, 2006 e 2009, são o segundo clube com mais pontos acumulados.
Com dois títulos desde 2003, o Corinthians aparece apenas na oitava colocação do ranking dos pontos. A campanha da queda em 2007 e disputa da série B na temporada posterior explicam o fraco desempenho no acumulado da década.

Top 10 nos pontos corridos :
Clube (Pontos conquistados) 
São Paulo  (625)
Internacional (577)
Cruzeiro (570)
Santos (564)
Flamengo (524)
Fluminense (518)
Atlético-PR (504)
Corinthians (502)
Palmeiras (478)
Goiás (452)

Novos ricos 
A décima edição do Brasileiro com pontos corridos será a primeira com o novo contratato de direitos de transmissão, assinado em 2011 com a Globo. Após uma disputada política, que resultou na implosão do Clube dos 13, Corinthians e Flamengo conseguiram aumentar a diferença em relação aos rivais no valor pago pela emissora.

Os dois clubes de maior torcida receberão R$ 84 milhões por temporada. O valor ainda pode aumentar com a venda de pacotes do pay-per-view. Outro grupo, formado por Palmeiras, Vasco, São Paulo e Santos, receberá cada um R$ 75 milhões. Já Fluminense, Cruzeiro, Atlético-MG, Grêmio, Internacional e Botafogo ganharão R$ 55 milhões. Os outros times recebem R$ 29 milhões, quase um terço do valor pago a Corinthians e Flamengo.
“É claro que eles (Flamengo e Corinthians) têm um poder de fogo maior a partir de agora, mas nós trabalhamos com outras receitas, como a arrecadação com sócios”, diz o diretor de futebol do Inter, Cuca Lima.
O diretor financeiro do Corinthians, Raul Correa da Silva, diz que ainda é cedo para saber se a nova divisão das cotas de TV formará nova elite no Brasileiro. “Outras receitas equilibram essa conta. Clubes como Inter e Atlético-PR, por exemplo, arrecadam com sócios e venda de jogadores”, defende o dirigente.
O corintiano diz que o aumento na receita não levará o clube a cometer loucuras e gastar mais do que o previsto em contratações. “Não muda a estratégia, a gente acha que o time está pronto. No ano passado fizemos investimentos importantes de jogadores “, afirma.
←  Anterior Proxima  → Página inicial