RECICLAGEM: UM PRIMEIRO PASSO


Cada vez mais as pessoas ficam estimuladas a contribuir para a preservação ambiental, mas muitas vezes não sabem exatamente o que fazer. Então aí vai uma dica: que tal começar pela reciclagem? A reciclagem, além de ser extremamente importante para reduzir a extração de recursos naturais para atender à crescente demanda por matéria prima das indústrias, ainda ajuda muito a amenizar um dos maiores problemas da atualidade: o lixo.
Estima-se que o Brasil produz 240 mil toneladas de lixo por dia. Destes, apenas 160 mil são coletados e o destino de 76% desses restos tidos como “inúteis” e “indesejáveis” ainda são os lixões a céu aberto. Os aterros controlados recebem 13% desse volume. Nos aterros sanitários são depositados 10% e apenas 1% é encaminhado para reciclagem. É uma estatística muito pobre para um lixo avaliado como um dos mais ricos do mundo. Como comparação, o percentual de resíduo urbano reciclado na Europa e nos EUA é de 40%. Além do impacto ambiental, temos o impacto econômico. O custo para tratar todo esse lixo é enorme. Para se ter uma idéia, uma cidade de aproximadamente 200 mil habitantes gasta por ano entre 9 e 10 milhões de reais para fazer o tratamento adequado. Estima-se que mais de 50% destes resíduos poderia ser reciclado, o que além de reduzir custos ainda poderiam gerar receita para a própria cidade ou para cooperativas de catadores, além de amenizar o impacto ambiental. Então como ajudar? Primeiro precisamos mudar nossos hábitos de consumo, praticando o consumo consciente, evitando o desperdício, pensando nas embalagens que depois irão para o lixo e dando preferência para as que sejam recicláveis. Para saber mais sobre essa etapa confira o site do Instituto Akatu para o Consumo Consciente. Depois, temos que aprender a separar o material reciclável do não reciclável e incentivar os amigos, vizinhos e parentes a fazer o mesmo. Para saber quais são os materiais recicláveis consulte o panfleto orientativo no site do CEMPRE (Compromisso Empresarial para Reciclagem). O passo seguinte é organizar a coleta seletiva em sua rua, condomínio, empresa ou até em seu município. No site do CEMPRE você encontra cooperativas em todo o Brasil e ainda consulta manuais com todas as orientações para implantação da coleta de recicláveis em seu município. As cooperativas podem contribuir distribuindo material com orientações, realizando palestras e ajudando na infra-estrutura e planejamento da coleta. É importante saber que o material coletado por essas cooperativas geram emprego para muitas famílias, ajudam na preservação ambiental, além de reduzir os custos com tratamento do lixo pela prefeitura. Afinal, o “p” de “profit” (lucro, em inglês), também é um dos pilares da sustentabilidade! No próximo post falarei um pouco mais sobre a implementação da coleta seletiva em empresas e darei algumas ideias para o engajamento dos funcionários para a separação do lixo. Se tiver contribuições sobre esse tema, deixe registrado aqui, nos comentários do Blog do Práticas.
Um abraço, 
Marcio Barela 

*Fontes: http://www.cempre.org.br 
http://www.ufv.br/Pcd/Reciclar/lixo_brasil.htm 
http://www.ufv.br/Pcd/Reciclar/brasil_recicla.htm 

 Márcio Barela 
Analista de Processos do Santander
←  Anterior Proxima  → Página inicial